Way2Blog

Tudo sobre gestão de energia e o setor elétrico!

Por Bianca Escrich, redatora da Way2 | 24 setembro, 2020 | 0 Comentário(s)

O que é fator de carga e fator de demanda?

Fator de carga é definido como a razão entre a demanda média e a demanda máxima, já o fator de demanda é a razão entre a demanda máxima e a potência instalada da unidade consumidora. É muito importante acompanhar e entender fator de carga e demanda para o melhor aproveitamento da demanda contratada e da instalação elétrica.

Sem tempo para ler o artigo? Ouça aqui:

fator de carga e fator de demanda

Entender fator de carga e fator de demanda e a relação direta nos custos com energia, permite aos gestores maior previsibilidade para promover uma gestão eficiente de demanda de energia de acordo com o que foi contratado, evitando gastos excessivos.

Para aprofundar seu conhecimento sobre o tema, neste artigo abordamos o que é fator de carga e fator de demanda, bem como a importância de mensurar e monitorar esses indicadores para otimizar a sua gestão e manter a operação sustentável do negócio.

Fator de carga

De acordo com a Resolução a Normativa nº 414/2010 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), o fator de carga é definido como a razão entre a demanda média e a demanda máxima da unidade consumidora ocorridas no mesmo intervalo de tempo especificado. Também é possível afirmar que o fator de carga é a razão entre a energia ativa consumida e a energia máxima que poderia ser utilizada em um dado intervalo de tempo.

fator de carga

O fator de carga (FC) é um índice adimensional que varia de 0 a 1, e quanto mais próximo de 1, melhor a eficiência energética da instalação. Este resultado próximo a 1 indica que as demandas instantâneas ao longo do dia são próximas da demanda máxima.

A análise do fator de carga possibilita identificar os pontos de pico de demanda e avaliar a uniformidade da utilização da energia elétrica, visando o melhor aproveitamento da instalação elétrica e da demanda contratada.

Como é usual que a demanda contratada de uma unidade consumidora seja dimensionada para atender a sua demanda máxima, se uma unidade consumidora tem uma demanda máxima muito elevada em relação a demanda média, significa que a demanda contratada está sendo dimensionada para atender a demanda máxima por um pequeno período de tempo e o resto do tempo ela fica ociosa, ou superdimensionada. Então, o ideal é que as cargas sejam remanejadas para que a demanda máxima esteja mais próxima possível da demanda média.

Vale lembrar que só possui demanda contratada consumidores do grupo A, ou seja, aqueles atendidos em média ou alta tensão, geralmente instalações industriais ou comerciais de grande porte. Não existe contratação de demanda em instalações residenciais, geralmente atendidas em baixa tensão, em que o consumidor paga somente pela energia consumida.

Como ajustar o fator de carga

Existem algumas medidas que podem ser tomadas para se ajustar o fator de carga da instalação, como por exemplo:

  • Deslocamento de determinadas cargas no período de pico da curva de carga da instalação para horários de menor consumo.

Esse achatamento da curva reduz a demanda máxima e consequentemente aumenta o fator de carga. Consequentemente essa medida viabiliza uma redução da demanda contratada junto à concessionária, o que gera economia na conta de energia.

  • Também é possível aproveitar os horários de menor demanda na curva de carga e aumentar o consumo de potência demandada nesses horários.

Ao invés de tirar cargas do horário de pico, aproveita-se melhor as cargas durante o período em que o consumo é baixo, colocando novas máquinas para funcionar, por exemplo, aumentando a produção. Com isso, eleva-se a demanda média e consequentemente o fator de carga, o que indica um melhor aproveitamento da instalação elétrica.

Essas medidas estão associadas a ganhos financeiros, uma vez que permitem uma maior eficiência na contratação de demanda e evitam investimentos em ampliação da infraestrutura de cabeamento e alimentação da instalação para acomodar um aumento de produção.

Fator de demanda

De acordo com a Resolução Normativa nº 414/2010 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), o fator de demanda é a razão entre a demanda máxima de potência registrada num intervalo de tempo especificado, ou potência de alimentação, e a potência instalada na unidade consumidora.

fator de demanda

O fator de demanda é usado geralmente para o dimensionamento de instalações elétricas, pela análise da simultaneidade de uso dos equipamentos. Isso porque não é economicamente interessante se projetar uma instalação elétrica por inteiro considerando a potência instalada somada de todos os equipamentos, sendo que nem todos os equipamentos vão estar funcionando ao mesmo tempo.

No caso de novas instalações, em geral, os projetistas não têm disponíveis os valores do fator de demanda prático, pois essa técnica não é usual. Felizmente, fatores de demanda típicos, seja para indústria, comércio, e outros ramos de atividades, são disponibilizados em normas técnicas e literaturas especializadas para suportar o projeto e o dimensionamento de novas instalações elétricas.

Tipicamente a potência instalada é consideravelmente maior que a potência de alimentação da instalação, que é a demanda máxima de potência no pico da curva de carga. Por isso, a determinação correta da potência de alimentação através de medição é fundamental para uma revisão segura e econômica da instalação.

Ao revisar componentes da instalação, a partir dela evita-se custos elevados e desnecessários, otimizando o dimensionamento de condutores, transformadores, geradores etc. Vale observar que sempre deve ser levado em consideração o potencial de aumento de carga, para que a instalação não seja trocada ou ampliada num curto espaço de tempo.

Outros motivos para monitorar o seu perfil e calcular o fator de carga e demanda

Existem tecnologias que permitem o acompanhamento dos dados de consumo e demanda da sua operação, disponibilizando em tempo real informações confiáveis para que gestores tenham conhecimento do seu perfil de consumo e a evolução de sua demanda em diferentes períodos. Isso permite analisar com precisão e riqueza de dados o fator de carga e o fator de demanda da sua empresa.

Além disso, é possível por meio do monitoramento sistemático da sua carga, obter parâmetros confiáveis para a definição da demanda contratada ideal, bem como avaliar se o enquadramento tarifário está adequado à demanda contratada e ao perfil de consumo.

Análise da demanda contratada

É possível avaliar se a demanda contratada está adequada ao perfil de consumo para evitar o desperdício de recursos com contratos superdimensionados ou com penalidades por exceder a demanda contratada de energia por meio de contratos sub ou super dimensionados.

Iniciativa que permite ajustar o seu contrato de demanda com a concessionária e dá informações para avaliar o contrato de energia mais vantajoso para seu negócio e adequado para atender o perfil de consumo, no caso do Mercado Livre de Energia.

Enquadramento tarifário adequado

Com a análise dos dados de demanda e perfil de carga por meio de softwares de gestão de energia, torna-se possível identificar qual é modalidade tarifária mais adequada de acordo a operação e necessidades da empresa.

gestão de energia para empresas

Deixe seu comentário!

Assine nosso blog ;)

Mantenha-se atualizado sobre o que está acontecendo quando o assunto é energia