Way2Blog

Tudo sobre gestão de energia e o setor elétrico!

Por Lívia Neves, redatora na Way2 | 26 maio, 2021 | 0 Comentário(s)

Desafios para gestão de múltiplas unidades consumidoras de Geração Distribuída

Conheça as soluções para os principais desafios enfrentados por operadores de geração distribuída em modalidades como autoconsumo remoto e geração compartilhada de energia.

Sem tempo para ler o artigo? Ouça aqui:

geração distribuida

A geração distribuída de energia segue crescendo no Brasil, oferecendo economia e mais liberdade para consumidores de energia. Mantendo o ritmo exponencial dos últimos anos, a geração distribuída dobrou sua capacidade entre 2019 e 2020. Saiu de 2,2 GW no final de 2019 para 4,8 GW no final de 2020 – ou de 181 mil sistemas de geração distribuída para 388 mil. 

Atualmente, há 5,7 GW de capacidade instalada de geração distribuída no Brasil. Só a fonte solar corresponde a 5,6 GW desse total. É mais do que os 3,2 GW que a tecnologia fotovoltaica soma na geração centralizada, que atende as distribuidoras e o mercado cativo de energia, segundo dados da ANEEL.

Com os números crescendo, também aumentam os desafios. Erros são comuns durante a compensação dos créditos de energia elétrica, mas identificá-los não é uma tarefa simples. É necessário um acompanhamento da telemedição da distribuidora que facilite a verificação e a correção de erros. Além disso, as faturas das unidades consumidoras não ficam disponíveis simultaneamente e algumas podem deixar de ser conferidas. 

Em meio aos desafios existentes, também estão sendo discutidas mudanças nas regras de compensação de créditos de energia da geração distribuída, no Congresso e na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Para empresas e consumidores que entraram nesse crescente mercado apostando nos modelos de geração distribuída por autoconsumo remoto e por geração compartilhada, há um desafio adicional: o de gerenciar as múltiplas unidades consumidoras que recebem os créditos das usinas. Nessas modalidades, o sistema de geração está instalado em local diferente da unidade consumidora que compensará os créditos. 

geração distribuida

Autoconsumo remoto e geração compartilhada de energia

No caso do autoconsumo remoto, as unidades consumidoras e o sistema de geração devem ter a mesma titularidade ou comprovadamente pertencer a empresas da mesma holding. Essa modalidade contava, até o final de 2020, com 55.541 sistemas instalados, somando 929 MW de capacidade instalada, segundo dados da ANEEL. Em maio de 2021, já eram 67 mil sistemas com 110 MW de capacidade.

Já na geração compartilhada, o sistema de geração distribuída é dividido entre diferentes consumidores que se unem em consórcios ou cooperativas para compartilhar os créditos. A modalidade acumulava 827 sistemas com 45,6 MW até o final de 2020. Em maio de 2021, chegava a 944 sistemas com 51,6 MW de capacidade, mantendo o crescimento mesmo em meio à pandemia. 

Existem desafios específicos que afetam os operadores de geração distribuída nas modalidades compartilhada ou remota. Confira os detalhes neste artigo e entenda quais são as soluções tecnológicas disponíveis para cada um deles:

Gerenciar diversos clientes com múltiplas unidades consumidoras de energia

A quantidade de informações geradas por um sistema de geração distribuída com múltiplas unidades consumidoras, seja na modalidade compartilhada ou de autoconsumo remoto, é consideravelmente maior que em um sistema dimensionado para atender apenas a unidade consumidora em que está instalado.

Em média, um sistema na modalidade autoconsumo remoto atende 2,8 unidades consumidoras. Já a geração distribuída compartilhada atende, em média, 3,8 unidades consumidoras por sistema.

São diferentes faturas com diferentes informações para serem coletadas, organizadas e analisadas. Desde a medição do consumo até a atribuição de créditos de compensação de energia de acordo com a cota de participação de cada unidade consumidora na usina. Frequentemente, são fechados diferentes tipos de contratos com os consumidores que receberão os créditos de energia – podendo ser cobradas tarifas fixas ou variáveis de acordo com o consumo. 

Com tantos detalhes, a coleta e a análise automatizada de informações das faturas de energia simplifica a identificação de erros e agiliza a tomada de decisões. Com uma ferramenta que realiza esse tipo de gestão, os gestores ganham tempo para, por exemplo, ajustar as cotas entre unidades consumidoras que estejam acumulando créditos de energia ou que estejam economizando menos que o previsto em contrato. Essa alteração pode levar até 90 dias para ser efetuada pela concessionária, por isso quanto mais cedo for identificado o descompasso, melhor. 

Comprovar a economia financeira para o cliente

Muitos contratos de consórcios de energia solar (como também são chamados os sistemas de geração compartilhada) estabelecem metas de redução de conta de energia para cada unidade consumidora. 

Empresas que administram usinas de geração distribuída compartilhada precisam comprovar facilmente para cada consumidor qual é a economia que ele está tendo com o abatimento dos créditos de geração. 

Para isso, é necessário também ter um sistema de acompanhamento que sinalize facilmente os valores da fatura e os créditos atribuídos para cada cliente. Essas informações devem ser extraídas e entregues para o consumidor na forma de relatórios simples e mais palatáveis que as complexas leituras das faturas das concessionárias. 

Capturar e processar faturas de energia de múltiplas unidades em diferentes concessionárias 

Se já é um desafio fazer a gestão de geração distribuída com múltiplas unidades consumidoras, imagine conciliar e padronizar as informações de faturas de diferentes concessionárias de distribuição de energia. Cada distribuidora classifica e expõe as informações de formas diferentes, o que complica a padronização das informações.

Com o uso de um software para gestão de faturas de geração distribuída é possível capturar e padronizar automaticamente as faturas das diferentes distribuidoras do país, facilitando a comparação e a gestão integrada do negócio. Assim, os gestores ganham eficiência operacional e têm mais informações para basear, por exemplo, decisões de expansão e novos investimentos. 

controle de faturas de energia

Encontrar o ponto ótimo dos créditos de energia para todas as unidades consumidoras 

Encontrar e manter a divisão ótima dos créditos entre as unidades consumidoras com geração distribuída é uma tarefa que exige organização e análise constante dos dados e pode ser complexa, especialmente para as empresas que gerenciam mais de um consórcio de energia solar

Esse ponto ótimo não é fixo e pode mudar, por exemplo, se uma unidade consumidora começar a acumular créditos enquanto outra unidade não está atingindo a economia prometida. 

É indicado o uso de APIs para integrar e visualizar mais facilmente as informações detalhadas das unidades consumidoras, atualizadas automaticamente, que podem ser agrupadas por usina. Assim fica mais fácil identificar discrepâncias e oportunidades de ajustes. 

Confira aqui as melhores práticas para gestão de créditos de energia na Geração Distribuída.

Contato difícil com a distribuidora

Muitas vezes pode ser difícil identificar, reportar e comprovar erros nos cálculos das faturas. Por isso, é necessário monitorar a telemedição da própria distribuidora e comparar com os valores de consumo e créditos atribuídos para cada unidade consumidora. Erros como deixar de abater os créditos ou ignorar a cota atribuída para a unidade consumidora são comuns. 

Com a gestão automatizada e inteligente desses dados é mais fácil realizar a auditoria das faturas e comprovar os erros junto à distribuidora. O uso de uma API que identifica quando os valores previstos de consumo, injeção de energia e créditos estão descolados dos valores realizados, considerando uma margem mínima de variação, pode ajudar. 

Automatizar processos do ERP do cliente 

Organizar o sistema de faturamento de cada unidade consumidora também pode ser uma tarefa desafiadora. Ter um sistema para gerir os créditos de energia por unidade consumidora e outro sistema para faturar e cobrar seus clientes também pode complicar as operações das empresas que administram geração distribuída com múltiplas unidades consumidoras. 

Por isso, a gestão automatizada das contas e créditos de energia deve ser facilmente integrada a outras aplicações usadas pelas empresas, como os sistemas de faturamento e controle de pagamento. 

Line: solução integrada para gestão de Geração Distribuída com múltiplas unidades consumidoras

Para todos os desafios listados neste artigo, a Way2 disponibiliza a solução Line, que automatiza muitas das tarefas operacionais da gestão de um sistema de geração distribuída com múltiplas unidades consumidoras

A ferramenta coleta automaticamente as faturas de todas unidades consumidoras associadas ao micro ou minigerador e extrai dados como energia consumida, créditos compensados, parcela de energia injetada pelo sistema e saldo restante. 

O sistema também pode calcular quanto o gerador receberá pelo serviço, de acordo com cada contrato, além de ajudar a distribuir as cotas para as unidades consumidoras de forma ótima. 

A API do Line fornece mais informações e de forma mais rápida para a tomada de decisões de gestores, é integrável a outros sistemas comumente utilizados por empresas para faturamento e cobrança e gera relatórios acessíveis para os consumidores finais. 

Sua operação possui os desafios mencionados? Saiba mais sobre como o Line da Way2 Technology pode ajudar a gerenciar as suas usinas de Geração Distribuída.

gestão de créditos de energia

Deixe seu comentário!

Assine a Way2News

Saiba o que está acontecendo quando o assunto é energia e tecnologia