Way2Blog

Tudo sobre gestão de energia e o setor elétrico!

Por Bianca Escrich, redatora na Way2 | 28 maio, 2020 | 0 Comentário(s)

O que é Fator de Potência?

Para promover o uso racional da energia reativa excedente, é necessário calcular o fator de potência. Seu cálculo consiste na divisão da energia potência ativa pela potência total ou aparente do sistema. Fazendo a correção de fator de potência é essencial para evitar cobranças adicionais na fatura de energia.

Sem tempo para ler o artigo? Ouça aqui:

fator de potencia

Quanto mais próximo de 1 for o índice do cálculo de fator de potência, menos energia reativa estará sendo consumida ou gerada pela unidade consumidora. A Resolução Normativa Nº 414/2010 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) prevê multa caso os consumidores apresentem um fator de potência abaixo de 0,92.

Apesar de necessária para o funcionamento de equipamentos destinados a grandes consumidores, a utilização de energia reativa deve ser monitorada em tempo real para controle efetivo. Afinal, o excesso de energia reativa está diretamente associado a perdas por aquecimento e quedas de tensão.

Entender o que é energia reativa e fator de potência é de extrema importância para evitar cobranças adicionais na fatura de energia. A longo prazo, essa cobrança pode impactar de maneira significativa a saúde financeira do negócio.

Como identificar o uso de energia reativa excedente?

A forma de identificar se sua empresa está fazendo o uso de energia reativa excedente é realizar uma análise detalhada da fatura de energia. Isso porque, a cobrança sobre a energia reativa excedente aparece na fatura de energia elétrica e, geralmente, estão sinalizadas como excedente de consumo reativo ou pelas siglas como EREX e FER. As causas mais comuns para que a distribuidora efetue a cobrança do excedente são:

  • Motores operando com pequenas cargas por muito tempo;
  • Grande quantidade de motores de baixa potência;
  • Motores ou transformadores trabalhando superdimensionados;
  • Transformadores alimentando cargas pequenas;
  • Excesso de lâmpadas de descargas sem correção individual do fator de potência.

Soluções indicadas para a correção de fator de potência

Caso seja constatado uso de energia reativa excedente, a empresa é multada pela distribuidora e tem um prazo de até 90 dias para reclamar da classificação efetuada. A distribuidora, por sua vez, deve proceder à compensação do faturamento de consumo de energia elétrica e de demanda de potência ativa e reativa excedentes após devida correção do consumo excedente.

Para identificar se está fazendo uso excessivo de energia reativa e fazer a correção necessária, é preciso adotar soluções e tecnologias que façam a correção de fator de potência de forma automatizada. Veja como o Posto Leival, da Rede VB, identificou problemas no seu fator de potência analisando perfil de carga.

Conheça as soluções indicadas para corrigir o uso excessivo de energia reativa e evitar cobranças adicionais na fatura de energia elétrica da sua empresa.

Instalação de banco de capacitores

Instalar banco de capacitores junto aos equipamentos ou próximos aos locais onde há o consumo da energia reativa para correção de fator de potência é a solução mais indicada para compensar o consumo de energia de acordo com o perfil de carga e padrão de consumo.

A instalação de bancos de capacitores é considerada uma forma econômica e racional de se obter energia reativa necessária para a operação dos equipamentos. Com os capacitores funcionando como fontes de reativo, a circulação dessa energia fica limitada aos pontos onde ela é efetivamente necessária, reduzindo perdas, melhorando condições operacionais e liberando capacidade em transformadores e condutores para atendimento a novas cargas, tanta nas instalações consumidoras como nos sistemas elétricos da concessionária.

Para fazer uso efetivo dessa solução, o banco de capacitores deve ser dimensionado de acordo com a carga ideal para o funcionamento de cada equipamento e sua operação precisa ser realizada de maneira automatizada para alcançar alto nível de eficiência energética.

Redução no uso de energia reativa excedente

De acordo com a legislação vigente, tanto a energia reativa indutiva excedente como a energia reativa capacitiva excedente são medidas e faturadas. Portanto — além de evitar penalização pela má utilização de energia elétrica que impactam as finanças da empresa — adotar iniciativas para reduzir o uso de energia reativa evita a sobrecarga no sistema das empresas fornecedoras e concessionárias de energia elétrica, principalmente nos períodos de maior demanda.

O fator de potência deve ser controlado de forma que permaneça no limite de 0,92 indutivo e 0,92 capacitivo. Para calcular o fator de potência é preciso medir a energia ativa e reativa durante o ciclo do faturamento. A energia reativa indutiva pode ser medida no período das 6 às 24 horas a intervalos de 1 hora. Já a energia reativa capacitiva pode ser medida no período de 0 às 6 horas, também em intervalos de 1 hora.

A redução do consumo de energia reativa no período indutivo (aquele no qual o consumidor só paga multa por consumir reativo) e no período capacitivo (aquele no qual o consumidor só paga por gerar indutivo), é umas das boas práticas indicadas para alcançar eficiência energética na operação do negócio.

Tecnologia para controle e monitoramento do consumo de energia em tempo real

A contratação de uma tecnologia que permita o controle e monitoramento do consumo de energia elétrica em tempo real, viabiliza o monitoramento remoto dos parâmetros de utilização de energia, tornando possível a identificação de anomalias, ineficiências e oportunidades de economia em tempo integral e de forma automatizada.

Acompanhar em tempo real dados de consumo, demanda e fator de potência de suas unidades por meio de uma solução completa para medição e gestão de energia proporciona agilidade na detecção de anomalias e desvios, possibilitando rápidas ações corretivas. Além disso, permite identificar desperdícios ocultos para um consumo eficiente. Veja como escolher um software de gerenciamento de energia.

Adotar boas práticas de consumo racional de energia e eficiência energética

Para a correção de fator de potência e evitar cobrança adicional por parte da distribuidora, a empresa deve adotar boas práticas de consumo racional de energia e eficiência energética. Essa iniciativa gera inúmeros benefícios nas empresas como redução de custos, economia, eficiência operacional, maior rentabilidade e competitividade.

Ao implementar boas práticas para otimização do consumo de energia, é possível eliminar desperdícios, perdas e agregar valor aos processos, produtos e serviços, fatores que proporcionam aumento da competitividade e rentabilidade do negócio a longo prazo. Confira algumas dicas de economia de energia para empresas. Aproveite para conhecer as soluções da Way2 destinada a grandes consumidores para melhorar a gestão de energia em tempo real e otimizar os resultados da empresa.

fator de potencia

Deixe seu comentário!

Assine nosso blog ;)

Mantenha-se atualizado sobre o que está acontecendo quando o assunto é energia