Way2Blog

Tudo sobre gestão de energia e o setor elétrico!

Por Greyci Girardi, Redatora na Way2 | 7 outubro, 2019 | 0 Comentário(s)

Como ir além da troca de equipamentos na redução de custos com energia

A substituição de equipamentos ineficientes é uma das ações possíveis para diminuir a despesa com energia elétrica em uma empresa. Mas outras medidas importantes também podem fazer parte do planejamento para um negócio mais rentável.

Sem tempo para ler o artigo? Ouça aqui:

equipamentos na redução de custos de energia

A substituição de equipamentos com baixa eficiência energética é uma das estratégias adotadas pelas empresas que buscam reduzir seus custos com energia. De fato, a troca de equipamentos obsoletos e ineficientes pode representar economias expressivas. Equipamentos mais modernos tendem a ser mais eficientes e a consumirem menos e os investimentos feitos são recuperados nas faturas mensais posteriores à troca.

Desde lâmpadas e climatizadores até máquinas e motores, a substituição é uma opção relevante em um planejamento de redução de custos. Aparelhos de ar condicionado, por exemplo, podem representar até 60% do consumo de energia de uma empresa. É apenas um exemplo de como a infraestrutura de equipamentos merece toda a atenção no processo de gestão da energia.

Em alguns casos, o retrofit é uma alternativa vantajosa, pois permite a modernização da infraestrutura, prolongando a vida útil do equipamento ou melhorando sua performance, com um custo mais baixo do que aquele necessário à sua substituição.

Uma rotina de manutenção preventiva é outro ponto a ser lembrado. Estudos indicam que uma empresa pode reduzir o consumo em até 10% apenas com o esforço de manutenção preventiva. Quando feita de forma adequada, ela garante maior durabilidade e melhor desempenho aos equipamentos. Também traz economia com reparos e evita sobrecargas.

Manter atenção sobre equipamentos e sua performance é, portanto, essencial. Contudo, as possibilidades de redução de custos com energia não param por aí. Há muitas outras frentes a serem trabalhadas para reduzir essa despesa e aumentar a eficiência energética em uma organização.

O que mais a sua empresa pode fazer para reduzir a despesa com energia elétrica?

Outras ações podem ser contempladas em um planejamento para diminuir o consumo e os gastos com energia em uma organização. Algumas, inclusive, previnem multas e penalidades que são completamente evitáveis mediante a adoção de rotinas de monitoramento e de outros aspectos operacionais.

Conheça algumas das principais ações para redução de custos com energia nas empresas:

Manter o fator de potência nos limites estabelecidos

A regulação do setor elétrico determina que o fator de potência seja mantido o mais próximo possível de 1. A tolerância é de um mínimo de 0,92. Abaixo disso, paga-se multa na fatura de energia. Há empresas que gastam milhares de reais em multa, simplesmente porque não monitoram o fator de potência, não identificam desvios quando eles ocorrem e assim não tomam as medidas corretivas necessárias.

Administrar o consumo no horário de ponta

Um alto consumo no horário de ponta têm grande impacto sobre a despesa com energia elétrica, uma vez que as tarifas são mais elevadas nessa faixa de horário. Há diversas ações que podem ser implementadas nesse sentido, como a adoção de geradores próprios durante esse intervalo de tempo. Outra medida importante é avaliar o modelo tarifário adotado, de modo a otimizar o consumo. Há estruturas tarifárias que permitem contratar valores distintos para o horário de ponta e aquele fora de ponta. A escolha da estrutura tarifária ideal pode representar economias de mais de 20% na fatura mensal.

Dimensionar corretamente a demanda contratada

Dimensionar corretamente a demanda contratada de energia junto à distribuidora local é um passo importante para gerir bem a energia. Tanto um contrato de demanda subdimensionado, quanto um superdimensionado, representam prejuízo e custos mal gerenciados. Quando subdimensionado, a empresa paga o excedente de contrato, além de uma multa sobre o excedente com tarifa que pode ser três vezes maior por quilowatt. Quando superdimensionado, há uma sobra de contrato ao longo mês e paga-se mais do que de fato é demandado da rede, pois o faturamento não se dá sobre a demanda utilizada, mas sim sobre o volume total contratado.

Avaliar a migração para o Mercado Livre de Energia

Empresas elegíveis ao Mercado Livre de Energia devem fazer uma análise da viabilidade econômica da migração, pois pode ser uma mudança vantajosa e que acarreta diminuição dos gastos com energia. Além de terem acesso a tarifas mais vantajosas, os agentes do Mercado Livre negociam as condições de compra conforme suas necessidades e aproveitam os benefícios da previsibilidade financeira, pois sabem de antemão quais serão seus custos em longo prazo, já que eles estão estipulados nos contratos negociados.

Monitoramento de energia em tempo real

monitoramento de energia em tempo real acarreta diminuição de custos e traz eficiência energética de duas formas: permite a identificação de desvios e sua correção e permite também a identificação, em tempo integral, de potenciais de economia e de otimização de processos que podem ser explorados. Além disso, possibilita a formação de um histórico energético que é de fundamental importância para a tomada de decisões envolvendo contratos e melhor utilização desse recurso.

gestão de energia para empresas

Deixe seu comentário!

Assine a Way2News

Saiba o que está acontecendo quando o assunto é energia e tecnologia